Amare lança Política de Proteção Infantil

AMARE procura, de forma cada vez mais efetiva, assegurar os direitos de crianças e adolescentes. Na véspera do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescente, se deu início a elaboração da sua Política de Proteção Infantil. Nos dias 29/05 e 05/06 de 2021, o documento foi amplamente discutido com colaboradores e membros da diretoria.

O regramento deve funcionar para ampliar e fazer efetiva a proteção aos direitos dos assistidos nas atividades realizadas por colaboradores. O propósito é fortalecer o trabalho desenvolvido pela instituição.

Para dar sustentação e consistência jurídica, gestores e membros da equipe pedagógica estiveram reunidos por meio de uma vídeoconferência com o advogado e consultor Hiago Fontineles Aguiar (Goiânia-G).

Diretores, associados, colaboradores, voluntários e prestadores de serviços, receberam instruções sobre como prevenir abusos, maus-tratos e como informar as denúncias de fatos a serem investigados. Os colaboradores assinaram o código de conduta como forma de comprometimento de criar um ambiente seguro e protegido para as crianças e adolescentes confiados a eles.

A Política de Proteção Infantil estabelece meios para prevenção de abusos, acolhimento de denúncias, apuração e soluções. Toda a discussão teve como fio condutor a preocupação da vulnerabilidade de direitos das crianças e adolescentes. Para dar efetividade a este novo regramento, em complemento ao Estatuto da Criança e do Adolescente, pais e responsáveis, colaboradores, voluntários, crianças e adolescentes escolheram, em assembleias distintas, seus representantes para a primeira Comissão de Proteção Infantil.

Comissão de Proteção Infantil

 

Pais e Responsáveis: Maria Assunção Sousa Freitas, Francisco das Chagas Alves

Colaboradores: Cleane Aguiar Oliveira, Hamilton Alves Barbosa Junior

Crianças e Adolescentes: Gabryella Barbosa Costa, Elifran Gomes Avelino